Jantar em Ribamar…

Pois é, a semana passada ( segunda-feira mais exactamente ) fui jantar a Ribamar ali ao lado da Ericeira mais uma amiga, a uma marisqueira chamada Viveiros do Atlântico ( que recomendo vivamente )

Ia-se a caminho de lá, no relax, na conversa e a ouvir a Prova Oral com o Alvim, uma carrada de psicólogos, e uma carrada de torrados da cabeça (haja respeito, pessoas com depressões quero eu dizer) a ligarem para lá…pelos vistos o tema daquele dia era as depressões…mas depois de ouvir aquela gente quem estava a ficar deprimido era eu… Mas não interessa…

O que interessa, é que mais ou menos a meio do caminho, só oiço ao meu lado:
- “Pára o carro, que vou vomitar!”
E eu a pensar cá para os meus botões:
- “Já? Mas ainda nem se jantou sequer…”

Mas lá acabei por parar…até porque me parecia que não era brincadeira nenhuma…lá tá o Tio feito maçarico parado no meio da estrada ( sim porque lá para as bandas da Ericeira não existe o conceito de bermas ), montes de gente a passar e a olhar…até me admirei ninguém parar e perguntar se estava tudo bem…

E como dizia o outro, há sempre uma primeira vez para tudo… já me aconteceu ser depois do jantar existirem estas crises existenciais, agora antes!? Antes é traumatizante…

Este é daqueles acontecimentos em que um homem fica traumatizado até ao final da sua vida, e não existe cura possível… Agora sempre que for jantar com alguém, vou estar sempre naquela…será que vai acontecer o mesmo? Será que não vai? Será que vai ser antes ou depois do jantar?

Vai sempre existir aquela ansiedade tremenda, e depois é aquela velha história…será que vou conseguir parar o carro a tempo? Será que vou desejar ter limpa-vidros na parte de dentro do carro em vez de ser na de fora? Incógnitas, incógnitas…

E pronto, estou traumatizado até ao fim da minha existência…

Acho que a partir de agora, convido é a virem cá a casa para jantar, ao menos sei que o resultado será provavelmente a seguir ao jantar ( sim porque sou cá um Mestre da Culinária que nem vos digo nada… )

Resumindo e concluindo, após este acidente de percurso, jantou-se muito bem (praticamente 3 horas a comer), até não foi muito caro, não é que tenha grande experiência no ramo das mariscada ( eu sou mais de tascas), o que se notou bastante na parte dos “understands” diga-se de passagem… então com a sapateira…haviam de ver o domínio aqui do je com o martelo.. vá lá não ter chegado a casa com os dedos todos negros e amassados já foi uma sorte…

E no caminho para casa??? Lá tão vocês a pensar que foi outra vez a loucura…nada disso…tudo muito tranquilo…viagem maravilha…vai na volta até foi daquelas depressões todas que um gajo estava a ouvir na rádio…

Afinal, a minha amiga enjoava, e como muitos de vocês devem saber as curvas no caminho para a Ericeira são tramadas…é curva e depois mais curva…e mais curva ainda…e ainda mais curvas..e a seguir ainda vêm mais umas quantas curvas…

E até não ia armado em piloto de rally a fazer os percursos do rally da Córsega…embora muita daquelas curvas só dêem vontade de um gajo meter uma segunda/terceira e chapar-lhe o pé, e ver o ripas pião II a comer aquele alcatrão todo que nem um doido… Mas esta género de conversa fica para outro dia…

Um bem haja a todos…

PS: O Mestre da Culinária, é mesmo uma referência ao Quim Barreiros.
PS1: Uma boa viagem e que tudo corra pelo melhor ;)

5 thoughts on “Jantar em Ribamar…

  1. Sabes o que te digo? Antes “antes que depois”…Desperdiçar um jantar desses numa qualquer berma de estrada é praticamente criminoso…Como é óbvio, disseste à amiga para ir lá a casa tomar ENO, não disseste?

  2. Por acaso até não…eu não tenho dessas coisas em casa…nunca precisei..Como disse, a seguir ao jantar, foi tranquilo…e a viagem para casa foi na boeca :)

  3. Quem não conhecer a tua condução, até é capaz de engolir a história dos enjoos… Eu como conheço!!!Só te digo… Então não tinhas água das pedras em casa ó Animal de pelo curto?!Caso não haja, levas um copinho de água, e quanto às pedras olha, tiras umas do caixote do gato e serves num pires!!! ;)

  4. Ó primo…isso era antigamente que era sempre um autêntico Fittipaldi..Agora é só de vez em quando…e é quando estou sozinho… :D já ganhei algum juízo nesta cabeça tonta ( acho eu )Mas o que é que interessa a água das pedras em casa? Já estava a mais de meio caminho para lá..

  5. Pronto, está tudo explicado…O problema é mesmo teu, não da moça!!!A água das pedras era para ajudar a resolver a indisposição (independentemente do momento em que a mesma tenha ocorrido)…É como o engate ao cravar um cigaro…Se não conheces eu depois conto-te…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>