ASAE..zelo excessivo?

Hoje ao ler o Diário de Notícias, chamou-me à atenção o seguinte artigo de opinião, intitulado “Missão Impossível” da autoria de Vasco Graça Moura… ( E sim por estranho que pareça, de vez em quando gosto de ler um jornal…)

“Uma coisa é reprimir infracções verificadas (falta de limpeza, mixórdia, deterioração, gato por lebre, fuga ao fisco…) e responsabilizar exemplarmente os seus autores, outra é querer preveni-las em absoluto e em abstracto, metendo insensatamente no mesmo saco tanto o que pode ser muito grave como o que não tem importância nenhuma. Uma coisa é o controlo de regras básicas de higiene e segurança alimentar, outra o vezo inquisitorial sem critério ou discriminação, em nome do politicamente correcto, da rastreabilidade e do Estado da colher de pau.”

Ora aí está a célebre colher de pau da ASAE, a colher de pau, que para além de utensílio culinário fundamental, é também um educador de primeira classe! ( E que ninguém que venha cá dizer que não se deve bater nos putos de hoje em dia! Que isso é conversa para outro dia… )

Mas o ponto que interessa, é que eles tratam tudo por igual…ou seja um restaurante/bar/whatever fugir ao fisco, ou usar uma colher de pau, já com uns aninhos vai dar ao mesmo…

No site da ASAE, dizem eles “…aconselham os operadores a optarem pela utilização de utensílios de plástico ou silicone.

O que provavelmente se traduz, ou usas uma colher de plástico/silicone ou fechamos-te a porta…

“Esse fundamentalismo de sinal totalitário tem tanto de delirante como de missão impossível. A menos que, um dia destes, a ASAE resolva mandar os clientes andarem sem sapatos nos restaurantes e criar uma inspecção para o teor dos sulfatos de peúga; verificar com uma zaragatoa, à entrada, a limpeza das mãos deles e se trazem as unhas de luto; impor uma lavagem do dinheiro em espécie e dos cartões de crédito antes de entregues para pagar a conta; proibir toalhas e guardanapos de pano nas mesas; obrigar os empregados a usarem escafandro e o cozinheiro a encapuzar-se para evitar que espirre para cima do esparguete; e, last but not least, determinar a imprescindível desinfecção do cu da galinha antes de ela pôr os ovos…”

O que me fez saltar uma bela de uma gargalhada foi esta última frase…acho que realmente eles deviam inspeccionar o cu das galinhas…só mesmo para ter a certeza que estava tudo fino…

Um bem haja a todos…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>