O último dia de férias…

São 10 da manhã, apresento-me ao mundo apenas de boxers, meias e uns ténis mal calçados. Vou à cozinha do lume, as cinzas ainda estão quentes. Pego no saco das clementinas e no mocho do meu avô,( antigamente o pequeno almoço seria pão caseiro com manteiga, rodelas de chouriço e uma caneca de leite com café, que mais ninguém sabia fazer excepto a minha avó enquanto eu me aquecia no lume e preparava mentalmente um dia de brincadeiras no meio das laranjeiras, hoje em dia já não é bem assim ).

Sento-me à entrada da eira, enquanto descasco uma clementina, o sol aquece-me o peito e o ar húmido da manhã, inunda-me os pulmões, sabe bem estar vivo!

No horizonte não muito longínquo vejo as nuvens, que anunciam a volta a Queluz, ao trabalho na FCT e às responsabilidades do dia a dia.

O gato aparece para dar os bons dias, senta-se ao meu lado por cima das ervas. Olha para mim, e leio nos olhos dele que ele também sabe que está no dia de ir embora. Ainda lhe ofereço uma clementina, mas após a cheirar manda-me passear.

Ficamos os dois a observar as ervas a dançar à música do vento. Depois de 2 ou 3 clementinas, decido ir até Almeirim limpar a alma e o corpo, visto uns calções, uma t-shirt, armo-me com a raquete do ténis, pego no carro e sigo direito a Almeirim.

Chego são 10:30, o sol ainda brilha mas as nuvens aproximam-se rapidamente. A parede tem lá gente, 2 gajos a fazerem-se de bons enquanto evitam as poças de água que se formaram durante a chuva da noite. Felizmente há espaço mais um.

Entretanto começa a chover, embora pouco mas chateia, já estou a suar em bica e estou exausto, mais 20 minutos e vou-me embora. Passado 10 minutos começa a chover bem. Está na hora de ir embora. Sento-me um minuto a apreciar o céu cinzento enquanto a água me escorre pela cara e recupero o fôlego. Sabe bem estar vivo!

Chego às Fazendas ao 12:30, está na altura de um banho, a seguir é hora do almoço, infelizmente a cachola já acabou portanto terá que ser um frango assado encomendado no antigo café do xico besteiros.

Almoço, arrumo as coisas, e vou despedir-me da família. São horas de voltar a Queluz. Já não sabe tão bem estar vivo.

Um bem haja a todos….

2 thoughts on “O último dia de férias…

  1. Ai que a veia poética estava a latejar!!!ehehehehehOuve lá… mas que mariquice é essa de andar a bater bolas a uma parede?! Não tarda ainda me começas a tratar por você!!!Vai lá vai… Nunca mais fumes, nem bebas, do que te serviu de carburante durante o fds…Um abralho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>