Mudança de trabalho…

Estamos no ano de 2005, é final do semestre par…recebo um mail interessante de um dos meus professores..

Uma empresa sediada na faculdade precisava de um programador WEB, não vou de meios e vou logo falar com o professor para saber como era..

Após uma entrevista, e umas duas semanas de seca à espera que me dissessem qualquer coisa, lá me ligaram para ir lá uma 2º vez para falarmos..

Chegámos a acordo para o mês de Agosto, 500€ certinhos no final do mês… é muito? É pouco? Boa pergunta, na altura a única coisa que tinha feito era isto Electro Pics (  e sim aquele cabelo é todo meu.. enfim fases.. ), pensando agora, até foi pouco…mas pronto…na altura era tenrinho ( o que não significa que agora não o seja).

E foi assim que entrei para a “CommQuack”…

Este primeiro mês foi complicado, basta dizer que foi o 1º trabalho a sério que tive, e todos os dias estava lá às 9 da manhã, e saía às 20 da noite, salvo raras excepções..

A partir daí tive um ano a recibos verdes e a part-time…continuei a trabalhar que nem um doido, a dar tudo por tudo, por aquilo que achava que ia ser o meu futuro….larguei todas as outras responsabilidades que tinha, e dei tudo pelo trabalho..na realidade nunca fiz 4 horas, fazia sempre 5 ou 6 ou mais conforme os dias..porque nesta altura ainda ia a algumas aulas..

Findo o ano, fizeram-me a proposta para passar a full-time, mas com benefícios, ou seja, poderia continuar a frequentar o horário normal das aulas, desde que fizesse as 8 horas por dia..

O início dos semestres era sempre igual, começava por ir às aulas, e a meio do semestre deixava de ir, porque simplesmente embrenhava-me de tal maneira no trabalho que não queria saber de mais nada…

Foi aqui que comecei a notar algumas coisas que se calhar não eram assim tão normais, dando um exemplo que serve perfeitamente:

Eu: “Posso sair mais cedo? Preciso de ir tratar disto ou daquilo.”

Chefe: “Quando é que compensas?”

Para além de muitas outras que foram acontecendo pelo meio..na altura fez-me confusão…mas não quis saber, estava a ganhar o meu, era minimamente feliz…

E assim se passou um ano, começou a entrar gente, comerciais e designer’s já com experiência no mercado de trabalho, coisa que eu não tinha..e abriram-me um bocado os olhos para a vida..

Outro exemplo, e este não é meu:

Colaborador: “Preciso de sair na próxima 6º feira uma hora mais cedo, porque tenho de ir buscar a minha avó ao Hospital.”

Chefe: “Quer dizer que nessa 6º feira, entras uma hora mais cedo não é?”

Wooow…o que é que foi isto? Caiu-me tudo..Aqui comecei a ficar de pé atrás..mas continuei na minha vidinha habitual…casa – trabalho – casa…alguns dias ainda ia a uma aula ou outra…

Chego ao final do 1º ano de contrato, e ofereceram-me sociedade…és o mais antigo que cá está, o teu trabalho é bom, vais ter oportunidade de participar nas decisões da empresa, etc etc, portanto toma lá 2% (sim essa fortuna) que ficas todo contente…e eu como é lógico aceitei..

Entretanto esteve lá um comercial, que também tem uma história engraçada…ia ele e o meu chefe apresentar uma proposta a um hotel no Algarve. Como é que se costuma fazer nestes casos? Deslocações são pagas, e fica-se num hotel qualquer…Ali não, ali seria da seguinte maneira, o chefe e o comercial iam ficar em casa dos pais do chefe. Escusado será dizer que o comercial despediu-se antes desta tal reunião acontecer…

Chegou a Dezembro, comprei o carro, e tive que sair mais cedo para o ir buscar, claro que veio a conversa do costume…e mais uma coisa que me preocupou…a conversa com o meu chefe foi mais ou menos isto:

Chefe: “Não disseste a ninguém que ias sair mais cedo, porque ias comprar o carro pois não?”

Eu: “Claro que disse, porquê? Há problema?”

Chefe: “Sim, estás a criar um precedente, e depois o pessoal pode abusar.”

Lógico que toda a gente no dia a seguir, ia chegar ao escritório e ia pedir para sair mais cedo, porque ia tudo comprar um carro novo…enfim…

Nesse mesmo mês, fiz o pitch de 2 ideías que tive…uma delas era muita idêntica ao famoso Mais Gasolina que já conta com mais de 8000 utilizadores registados..foi recusada como é lógico… Apresentei uma solução, para nos organizarmos, e discutirmos ideías sem termos que estar a falar frente a frente ( e quando digo ideías estou a falar de código e não só ). Recusada também porque era um desperdício de tempo…

E em Dezembro fui também oficialmente promovido a sócio…

Pouco tempo depois, decidi que gostava de participar nas entrevistas aos próximos colaboradores, então fui falar com o meu chefe, e ah e coiso e tal, quero participar nas entrevistas aos próximos colaboradores que aqui vêm para programadores….”sem problema”, disse-me ele…e realmente até fui….fui só a uma…mas fui…

O tempo foi passando e eu fui enchendo, enchendo e enchendo…até que veio a gota de água…

Dia 1 de Agosto deste ano 6º feira ( e esta nunca me vou esquecer ), chego ao escritório de manhã mais 2 colegas meus, e está lá um caramelo à porta..pensei logo que o dia me ia correr mal..e a verdade é que ia mesmo..

Entrámos como se não fosse nada connosco e ele entra atrás de nós e diz:

Colaborador: “Bom dia, eu sou o X, e venho trabalhar com vocês.”

Eu: “E o que é vens fazer?”

Colaborador: “Não sei.”

Mais uns segundos de conversa, e lá consegui perceber que ele era programador e que vinha trabalhar comigo..digamos que passei-me logo do corno…não descarreguei nele, porque o jovem não tinha culpa nenhuma..

Chega-se às 10:30 da manhã, e liga o chefe:

Chefe: “Bom dia, não apareceu aí o X para trabalhar hoje?”

Eu: “Apareceu.”

Chefe: “Mas foi-se embora?”

Eu: “Não, está aqui ao meu lado enquanto eu lhe explico como é que funcionam as coisas aqui dentro.”

Chega às 18 da tarde, envio o “Status” ( o relatório diário do que foi feito, e do que não foi feito… ) e ponho o portátil a desligar enquanto arrumo a secretária para ir para casa…toca o telefone…

Chefe: “Não viste o meu email?”

Eu: “Não, já estou a desligar o computador!”

Chefe: “Então dá-me lá uma olhadela nisso antes de te ires embora.”

Eu: “Ok”

Lá resolvo o problema e fico lá até 19, e vou para a costa porque tinha qualquer coisa combinada com o pessoal de lá..

Semana a seguir, chega-se a 6º feira, e acontece exactamente a mesma coisa, chega às 18 da tarde, e aparece-me magicamente um email, com um problema para resolver, que tinha chegado às 16:30…fiquei pior que estragado e vim-me embora…ao que ainda me responderam que não era responsável porque me ia embora! Passei-me completamente…

Era altura de começar a mandar currículos, que na realidade só enviei um, tinha férias marcadas para dia 13 e 14 de Agosto, e aproveitei logo para marcar as entrevistas para esses dois dias..

Consegui a proeza de ir a 3 entrevistas no dia 13 ( 4º feira ), e não fui a mais nenhuma, quinta-feira dia 14, já tinha a resposta da 3º entrevista a que tinha ido, com as condições que me iam dar e a dizer que me aceitavam…

Foi só por os pontos nos i’s com a “NewJob Company”, e dar um aperto de mão..

Mas ainda não acabei, chegou a altura de dizer aos chefes da “CommQuack” que me vinha embora..conversa que nunca tinha tido…e que me foi bastante difícil diga-se de passagem..

Essa primeira reunião até foi pacífica, lá espingardaram à vontade e como se não houvesse dia seguinte…

Passado uns dias, fizeram-me uma contra-proposta…uma que achei ofensiva, e só me apeteceu mandá-los para aqueles sítios muitos giros..

A proposta era:

– 1000€ limpos por mês.

– Posição garantida num novo projecto que iam anunciar como 2º programador.

Vamos lá a ver, os 1000€ por mês não são nada mau pensados, e dinheiro a mais é coisa que nunca há..agora a posição como 2º programador é que me deixou a bufar…

Isto foi a uma 6º feira, e nessa tarde quando me fizeram a proposta desbobinei sobre algumas das coisas que me estavam a chatear…uma delas, era ter aparecido o colaborador novo sem saber de nada…eu que era sócio e que até tinham aceite a minha proposta de ir às entrevistas…

E agora vem a cereja no topo do bolo. Passado uma hora, liga-me o meu chefe:

Chefe: “Tenho aqui uma pessoa, que queria que começasse a trabalhar já na 2º feira. Mas eu vou ligar-lhe para ele vir cá fazer a entrevista técnica contigo, para tu veres o que achas.”

Eu:”Não obrigado…deixa estar que não vale a pena.”

Olha que lata!!! Supostamente a ideia de eu participar nas entrevistas era para dar o meu feedback para a contratação ou não contratação da pessoa em questão…não é para me fazer a vontade!

Em relação à contra-proposta, já tinha dito ao meu chefe, que o meu futuro na “CommQuack”, seria no mínimo como Gestor de Projecto atenção no mínimo!

No entanto ao final de 3 anos de trabalho, 2 anos e meio dos quais me esfalfei que nem cão para que tudo ficasse pronto a horas, noites que trabalhei que não recebi um tusto, e nem o jantar me pagavam! Fins de semana, que também fui trabalhar e também não os recebi!

E no final o que me oferecem para ficar é esta miséria, recusei cordialmente a contra-proposta e vim-me embora!

O que é que ganhei com estes 3 anos de trabalho? Experiência, muita experiência na área de programação WEB, e acho que foi isso que me fez ganhar o lugar na “NewJob Company”, e digo-vos já, se algum dos meus chefes se virar para mim e me disser: “Preciso que fiques cá a trabalhar hoje à noite, mas não vais receber horas extraordinárias.”, a minha resposta vai ser: “Sem problema, deixa-me só ligar para casa a avisar que vou ficar a trabalhar até tarde.”

E isto por uma razão muito simples, o meu chefe, vira-se para mim no 2º dia de trabalho e pergunta:

Chefe: “Então como é que ficou a situação do ISEL? Sempre conseguiste entrar?”

Eu: “Yah, consegui e vou lá hoje para me tentar inscrever.”

Chefe: “Precisas de sair mais cedo? Se precisares diz que não há problema nenhum!”

Wooow…2º dia de trabalho e está-me a perguntar se eu preciso de sair mais cedo? O que é que se passa aqui? Está-me a gozar quase de certeza..

1º semana de trabalho e não houve dia que não saísse depois das 19:00! Estão a ver as diferenças?

Na 6º feira da 1º semana de trabalho envio um email ao meu chefe:

Eu: “Preciso de sair mais cedo, porque não me consegui inscrever, portanto queria ver se saía aí por volta das 17:00 17:30.”

Chefe: “O que estás a fazer está quase feito certo? Então pira-te!”

Nem tudo foi mau na “CommQuack”, mas as coisas podiam ter corrido bem melhor! Para além de terem contratado más pessoas nalgumas alturas, que a única coisa que fizeram foi atrasar a empresa, e deixaram fugir outras que eram muito boas…

A grande diferença nestas duas empresas, é que uma valoriza os colaboradores ao máximo, e sabe que se houver um que abuse, mais tarde ou mais cedo isso vai-se notar e toma lá uns patins.. enquanto a outra simplesmente não valoriza os colaboradores e acaba por perder tanto os bons como os maus…

Só deixo um conselho…se virem que a empresa vos valoriza como pessoas, e não vos trata apenas como um mero colaborador que ali anda, dêem tudo por tudo que irão ser compensados mais tarde ou mais cedo…se virem que não vos valorizam façam o vosso trabalho, não dêem abébias e ao final das 8 horas de trabalho venham-se embora..

Um bem haja a todos…

EDIT: “CommQuack”, é o nome fictício da empresa onde trabalha…está explicado aqui o porquê da alteração do nome…

8 thoughts on “Mudança de trabalho…

  1. Como antigo colaborador da “CommQuack”, apenas tenho a dizer que concordo plenamente contigo. O meu “suposto” horário de 4 horas a ganhar, coff… coff… 375 € nunca foi menos do que 5 horas. Inclusive uma situação que te passou foi do género:

    Eu: Chefe é só para avisar que tenho teste na quarta.

    Chefe: Ok, tudo bem então e vens compensar na quinta não é?

    Acho que este nem vale a pena comentar.
    Relativamente ao teu trabalho, ainda bem que foste para um sitio em és reconhecido pelo fazes visto que eras a pessoa que fazia aquele sitio andar para à frente.

    Um grande abraço

  2. Boas…

    @Primo, já vi, mais logo trato disso..

    @PMR, epá eu já estava a estranhar…375€? Já tavas a ganhar muito!!!
    No entanto agora está lá um gajo a ganhar 500€, pois é 500€ também a part-time! Bem…praticamente part-time,porque faz 3 dias a full-time! Dá 4 horas a mais por semana… Não me perguntes é como é que ele está a ganhar tanto…deve ter cá uma lábia..

    E lembro-me de outra situação que ficaste lá o dia inteiro, que ainda ficámos lá os dois até às 21 ou coisa parecida..mas pronto..um gajo vai aprendendo..

    Um bem haja a todos..

  3. Pois é… estive aqui a reviver contigo os maus velhos tempos… é mesmo uma pena, aquela empresa tinha tudo para ser um sítio porreiro.
    Mas felizmente já mudámos para melhor e fico mesmo contente que te estejas a dar bem no emprego novo.
    Achas que é desta que vais conseguir estudar?
    gudlóc!

  4. Pingback: Bloggar e companhias | O Mundo do Tio

  5. … sabes Tio, se calhar no teu mundo trabalham-se 10 horas e aproveitam-se 2 horas de trabalho efectivo…

    e 1000 euros de ordenado para um funcionário cujas habilitações académicas são o 12º ano não é nada mau…

    saudações

  6. Boas..

    Ó tio Patinhas ( penso que seja a esse que te estás a referir.. ) se assim fosse/for no meu mundo, acho que já me tinham despedido…digo eu…ter um gajo a trabalhar na empresa que só rende 2 horas por dia..tá quieto..é mesmo mau negócio…

    Se realmente o rendimento de um dia de trabalho for assim tão baixo ( que duvido que seja ), estamos mesmo mal…é que mesmo mal..

    Eu nunca disse que 1000€ era mau ( pelo contrário ), não é nada mau…mas olha que há para aí muitos gajos com o 12º ano, a fazer o mesmo que eu a tirar acima dos 1000€, não estou a dizer que seja muito mais, mas é acima.. ( mas também podem ser 50 vezes melhores que eu )…

    Um bem haja a todos…

Leave a Reply to Patinhas Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *