Paz…

Deito-me no alcatrão,
não sinto frio,
não sinto nada,
sou uno.

Oiço o rugido,
da natureza,
sou cálido,
estou em fraqueza,

A chuva cai-me,
no corpo,
sinto a paz,
a invadir-me.

Estou sossegado,
fecho os olhos,
oiço apenas,
todos os sentidos,
desligados.

O peito,
incha cheio,
de ar,
esvazia,
expelindo,
o ar,
tentando recuperar
o fôlego.

Um clarão,
acorda-me,
tento abrir,
os olhos,
no meio da chuva.

Estou em paz,
levanto-me,
e sigo..

Um bem haja a todos…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>