Contrato de trabalho a paródia em várias cláusulas – Esclarecimentos

Depois de umas conversas no escritório durante o dia de hoje sobre este post, vou esclarecer umas quantas coisas que aparentemente não transmiti da melhor maneira..

Então vamos lá por os pontos nos i’s, como se costuma dizer..

Em relação ao trabalho de freelancer, o que eu considero ético é não fazer concorrência directa à empresa onde trabalho actualmente. Por exemplo, um potencial cliente contacta-me a mim, e à empresa onde trabalho, para mim, faz todo o sentido rejeitar o cliente com base que trabalho na empresa onde ele também pediu orçamento, portanto não será ético eu fazer orçamento à empresa ou aceitar tal projecto, e como é lógico o meu orçamento vai ser mais baixo que o da empresa, ficando plenamente em vantagem. No entanto também já aconteceu um amigo perguntar-me se eu podia fazer um trabalho freelancer, e eu passá-lo directamente à empresa, porque fazia sentido na altura. Porque já tinha muito no meu prato, ou porque simplesmente era um projecto grande e eu não tinha capacidade de o fazer no tempo que eles queriam ( devia ter pedido comissão, shame on me ).

Ao fim ao cabo, para mim o Freelancer é uma oportunidade para ganhar mais uns trocos, aprender alguma coisa que não posso aprender durante o dia de trabalho, porque há mais que fazer, e quem sabe um dia lançar-me numa coisa minha.

No entanto se uma empresa me contactar apenas a mim, fico de consciência tranquila, é uma opção que o cliente está a fazer, sabe que ao contratar um freelancer as coisas funcionam de maneira diferente do que contratar uma empresa.

Em relação ao uso do computador da empresa para consultar o email pessoal, ir ao Facebook e procurar trabalho e afins. Tendo em conta que estive a trabalhar numa agência de publicidade e agora estou a trabalhar numa empresa de desenvolvimento de software. Já vamos aos outros tipos de empresas.

Quando digo que não vejo mal nenhum em fazer qualquer uma destas coisas no local de trabalho, é da seguinte maneira. E vou dar o meu exemplo, email pessoal, tenho ligado o dia inteiro, vou ver algumas vezes durante a manhã principalmente porque combino regularmente almoços com o pessoal da faculdade e convém estar de olho nisso, por acaso hoje não tive tempo para ver da parte da manhã, simplesmente estava demasiado atarefado, e perdi a oportunidade para ir almoçar, eu e toda a gente que pelos vistos ninguém respondeu.

Facebook, está ligado o dia inteiro no computador do trabalho, quantas vezes lá vou? Boa pergunta? Sinceramente não sei, não conto as vezes.. serve principalmente para estar actualizado acerca das notícias do dia e para ver as Dieta do Ainanas ( se não sabem o que é googlem que vão descobrir ).

Eu posso fazer isto, porque o ambiente onde trabalho, é flexível para que tal aconteça, não se pode fazer isto em todos os trabalhos, onde é que já se viu um gajo ir na ambulância porque está doente e o enfermeiro no Facebook, a bater couro a uma amiga..

Procurar trabalho, se for procurar trabalho activamente, ou seja, andar a ver anúncios de ofertas de trabalho, pesquisar em sites de emprego, é algo que não considero ético, mas responder a um email para marcar uma entrevista não me parece nada de mal.

Responder a um email para marcar uma entrevista, para mim é a mesma coisa que atender um telefonema para marcar uma entrevista, a única coisa, é que no caso do telefonema, maior parte das vezes uma pessoa levanta-se e vai para uma sala ou coisa parecida. E quando uma pessoa pode responder, responde, não vai simplesmente quebrar a linha de pensamento para o fazer. Aliás telefonema é pior, porque a tendência é atender logo.

E uma curiosidade, noutra agência de publicidade onde trabalhei, uma empresa de recrutamento chegou a ligar-me para o escritório, para a linha do escritório mesmo, para falar comigo, a menina disse que era a minha tia e que queria falar comigo, então lá veio a recepcionista com o telefone na mão a dizer que a minha tia queria falar comigo. E eu com cara de parvo a olhar para ela, a dizer-lhe que era impossível a minha tia ter o número do meu trabalho, mas enfim..

Eu que sempre trabalhei em agências de publicidade e empresas de desenvolvimento de software ( onde se está minimamente à vontade ), o uso do computador da empresa para fazer este tipo de coisas parece-me perfeitamente normal, desde claro que não haja os tradicionais abusos.

Lembro-me perfeitamente quando o Farmville estava ao rubro, e na agência onde trabalhava, só quem não tinha Facebook, é que não jogava, chegava a uma determinada hora da manhã, e lá estava toda a gente no Farmville.

Agora vamos imaginar que eu trabalhava num banco ( como disse o meu chefe hoje de manhã enquanto discutíamos isto ), eu tenho um amigo (também programador ) que trabalha actualmente num banco, e usando a expressão que ele usa quando se refere ao seu local de trabalho, ele trabalha em Pyongyang, porquê, porque é um banco e eles têm de seguir regras de segurança extremamente restritas. No meu caso a coisa é completamente diferente, eu dificilmente abrirei um ficheiro com vírus através do meu email pessoal, eu e maior parte dos programadores que conheço ( não digo que não seja possível ), estou só a dizer que é difícil tal coisa acontecer. E a equipa com quem trabalho dificilmente fará isso, portanto usar estas coisas para trocar uns emails com uns amigos de vez em quando para combinar um fim de semana ou um almoço, usar o Facebook para bater o couro à tal miúda que gostamos, não faz mal nenhum desde que seja com conta pés e medida..

Neste caso a empresa protegia-se de forma altamente restritiva, no entanto nunca senti nenhuma das regras descritas a serem forçosamente aplicadas, à excepção de quando bloquearam o Facebook ( devido a certos abusos ), e no dia a seguir, virei-me para o meu chefe e disse-lhe, então como é que queres que eu continue a desenvolver o sistema de login integrado com o Facebook para o projecto da empresa X? ( É que na altura que bloquearam o Facebook estava mesmo a fazer a integração do login de Facebook com um site que estávamos a desenvolver ), ao que ele me respondeu, deixa-me só ir falar com o patrão para desbloquear isso, 5 minutos e já podes voltar ao trabalho.

Um bem haja a todos..

One thought on “Contrato de trabalho a paródia em várias cláusulas – Esclarecimentos

  1. Concordo plenamente, contudo há que ter cuidado com as clausulas de exclusividade que, como tu sabes muito bem, as empresas não vêem as coisas da mesma maneira

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>